Pacificadores

“Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.” Mateus 5:9

 Vivemos em meio a conflitos, ou rumores de conflitos, inevitavelmente. A questão é: somos alvo, ponto de envolvimento, ativadores, ou, como filhos de Deus, nos levantamos para o exercício do ministério que nos foi outorgado? Somos homens que amam e promovem a paz, a reconciliação, ou nos embaraçamos nos conflitos? Como embaixadores de Cristo (2 Co 5:20), precisamos entender o quê a Palavra de Deus ensina a esse respeito. Entendemos que fomos reconciliados com o nosso Criador quando ainda éramos pecadores e rebelados contra Ele? Em Rm 5:8-11, podemos ver que Deus enviou Jesus para morrer por nós quando nós ainda estávamos em inimizade contra Deus, reconciliando-nos ao Pai. O próprio Jesus segue nos ensinando que ” bem aventurados são os pacificadores”, aqueles que desenvolvem o ministério da reconciliação, da paz! Ainda em Mateus 5:22-25, vemos Jesus nos ensinando a respeito da reconciliação com o outro ser restaurada antes mesmo de ofertarmos! O Senhor não aceita oferta de alguém que tem pendências com o irmão, falta de perdão, litígios, envolvimento em “guerras pessoais”, das quais eu seja o “fator do conflito”! Sim, como embaixador, ministro reconciliador, devo ministrar a paz e me esforçar para que a mesma seja estabelecida, em tudo o que depender de mim. 

Analisando esses textos, associando-os também a 2 Co 5:18-19, convido você a refletir comigo sobre o ponto inicial da nossa conversa: o meu e o seu papel nos conflitos. Considerando que pacificar significa restabelecer a paz, e pacificadores amam a paz, e que reconciliar está ligado a instauração da paz, tendo a clareza de que, como pecadores, fomos reconciliados pela Cruz de Cristo, ainda temos queixas e inimizades com alguém? Suspeitamos que alguém tem litígios para conosco? Exteriormente a nós, promovemos a paz ou conflitos? Somos ousados no confronto em amor para restaurar a paz, ou omissos para evitar a exposição? 

Por fim irmãos, precisamos entender que, como embaixadores, filhos reconciliados de Deus, temos por herança e co-participação o ministério da reconciliação em nossos corações. Pacificar, reconciliar, significa que também teremos de lidar com pessoas que não querem a paz. Pacificar pode gera dores, lágrimas, renúncias, a exemplo de Cristo. 

Oro para que sejamos constrangidos pelo Espírito Santo a sermos pacificadores, pois assim, veremos a Deus. 

Written by 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *